A Empresa

Encontra-se inicialmente sediada em Cuiabá – MT, tendo a Razão Social denominada Berg Brasil e cuja atividade era voltada ao comércio distribuidor de produtos diversos (papelaria, confecções, eletro e eletrônicos, dentre outros).

Atualmente, com mais de 15 anos de existência e acompanhando as novas tendências do mercado; e no intuito de ampliar os serviços, sendo assim a Berg Brasil passa por mudanças estratégicas, que confluem na transferência de sua matriz para a capital do Amazonas; novos segmentos de serviços e consultorias.

A Estrela Guia Consultoria & Serviços tem como diferencial propostas inovadoras que venham atender as necessidades dos consumidores quanto a um produto não presente no mercado local. Volta-se à Segurança do trabalho e prestação serviços e treinamentos nas áreas de Sistema de Gestão Integrada (SGI), Responsabilidade Social, Conservação e Limpeza e Manutenção Predial satisfazendo clientes a partir de propostas inovadoras e diferenciais competitivos quando o assunto é Segurança.

Com uma carta de clientes que reúne empresas nacionais e multinacionais de segmentos diversos, prioriza as atividades referentes à total segurança dos profissionais em altura, tendo seu maior destaque na instalação da espera de ancoragem, sistema que consiste em um processo permanente nas estruturas das edificações, proporcionando estabilidade dos equipamentos, bem como a segurança dos trabalhadores em telhados e coberturas. 

Rigorosa ao atender às Normas Regulamentadoras (NRs) n. 01, 18, 34 e 35 da Secretaria de Inspeção do Trabalho, que tratam do trabalho em altura e determinam que as edificações com, no mínimo, quatro pavimentos (ou 12 metros a partir do nível do térreo) devem possuir previsão para instalação de dispositivos destinados à espera de ancoragem de equipamentos de sustentação de andaimes e de cabos de segurança para uso de proteção individual.

A empresa se diferencia no atendimento ao cliente, considerando de suma importância visita técnica para determinar as necessidades e a quantidade de espera de ancoragem para cada tipo de edificação e, assim, otimizar o perímetro a ser utilizado nas manutenções. 

Dispõe de equipe de instalação treinada e habilitada, utilizando equipamentos com certificação de acordo com as NRs do Ministério do Trabalho, bem como de um engenheiro para acompanhar a obra e emitir as documentações técnicas e Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

A Estrela Guia demonstra que a situação ideal em uma construção de edifício ou prédio, por exemplo, seja a implantação da espera de ancoragem antes de ser habitado, para garantir os requisitos das Normas 01, 18, 34 e 35, assim como outras aplicáveis... permitir que atividades de manutenção em altura ocorram com segurança.

 

Sobre a Ancoragem: Sistema que gera economia e segurança 

As esperas de ancoragem são feitas de aço inox e chumbadas nas estruturas principais das edificações. Passam quase despercebidas, mas são de extrema importância na garantia da segurança do prestador de serviço seja qual for o segmento (Industrial, condominial, etc.), devendo atender todo perímetro do prédio e suportando a carga pontual de 1,500 Kgf (Um mil e quinhentos quilo grama força).

Pensar na manutenção predial (restauração, pintura, resgate, limpeza de fachadas, manutenção de máquinas e equipamentos, manutenção de áreas aéreas, caixas d ́águas, escadas tipo marinheiro, espaço confinados, dentre outras aplicações) é sem dúvida considerar a eficácia na execução da atividade fim, inclusive no âmbito da segurança da mão de obra. Isto é possível, necessário e gera economia.

A ancoragem pode ser utilizada para o sistema de rolagem de andaimes em caso de serviços de manutenção predial. O sistema auxilia em mudanças e ascensão de móveis ou equipamentos de obra muito grandes ou pesados, além de facilitar a ação da equipe do corpo de bombeiros em casos de incêndio, garantindo agilidade e segurança no resgate em altura.

Ao colocar trabalhadores em um ambiente inadequado para a execução do trabalho em altura, com cordas puídas, por exemplo, sentados em balanços de madeira, sem equipamentos de segurança adequados (botas, capacetes, luvas, cintos trava-quedas e talabartes e amarrações para sustentação), síndico e/ou condômino é corresponsável por qualquer sinistro (Lei no 126, 10/05/1977) que possa ocorrer. E em caso de acidentes, o condomínio é obrigado a indenizar a vítima, quer seja o trabalhador e sua família, bem como um transeunte que seja atingido por fragmento da obra.

Clientes e Parceiros